“Branquinha”, Fernanda deve explicações sobre macacos no palco


Na véspera de apresentar sorteio da Fifa, para o qual teria substituído a atriz Camila Pitanga, modelo Fernanda Lima faz número em que canta Cada Macaco no Seu Galho; insinuação racista desperta nova polêmica; por que a própria Fernanda, auto-classificada de "branquinha", não esclarece sua posição a respeito?


A modelo e apresentadora global Fernanda Lima está devendo uma resposta peremptória sobre qual é, afinal, sua posição a respeito da igualdade racial.

 Ela, efetivamente, concorda com um mundo entre seres humanos iguais ou considera que uns são mais iguais que outros em razão da cor da pele?

A interrogação faz todo o sentido em razão da conexão de três fatos recentes.

 No início da semana passada, noticiou-se que Fernanda Lima e seu marido, o ator Rodrigo Hilbert, tomaram o lugar dos também globais Lázaro Ramos e Camila Pitanga. Questionada sobre ter assumido o lugar de Camila, Fernanda injetou o componente racial em sua explicação, para dizer que não deveria ser incomodada com o assunto:

- Só porque eu sou branquinha? Eu pago meus impostos.

Não adiantou, antes, durante e depois da performance irrepreensível de Fernanda no palco montado pela Fifa, para o sorteio dos jogos da Copa do Mundo, na Costa do Sauípe, circular a versão de que não houve substituição de apresentadores. Fernanda e Rodrigo, afinal, já haviam apresentado o sorteio da Copa das Confederações e apenas deram continuidade ao trabalho pelo qual haviam sido contratados.

Mesmo assim, a dúvida no ar foi agravada pela própria Fernanda. Na véspera do sorteio da Fifa, ela fez questão de abrir seu programa Amor & Sexo, na Rede Globo, cantando a música Cada Macado no seu Galho, numa coreografia em que empurrava bailarinos vestidos de macacos para longe de si própria.

- O meu galho é na Bahia, o seu é em outro lugar, repetia ela, com ênfase, no refrão.

Por fim, a acabar o número, praticamente expulsou os 'macacos' da cena, com uma frase dita em tom ríspido:

- Vai emborada, macacada. Cada um no seu quadrado!

No dia seguinte, lá estava Fernanda, ao vivo, apresentando o show da Fifa, dentro do seu próprio quadrado.

A pergunta que não quer calar é: houve, no número musical e na auto-definição de Fernanda como "branquinha", um recado para Lázaro Ramos e Camila Pitanga?,

Fernanda teve, enfim, uma atitude racista?

Não é o caso de, em razão do debate suscitado, a própria apresentadora global esclarer sua posição sobre o tema?

Ou ela prefere que reine a suspeita? Como se sabe, o racismo existe e pode estar em qualquer lugar, dentro de qualquer pessoa.”

3 comentários:

Anônimo disse...

Ai, nada a ver, esse programa dela foi gravado antes de ter sido decidido que ela apresentaria. Isso é viagem.

JCFerranti disse...

Correção:
A afirmação da Fernanda sobre ser branquinha se deu após reclamações de racismo sobre a escolha do casal, ou seja após a troca. Não foi ela quem iniciou a discussão sobre o racismo na escolha do casal, Ela questionava o porque de não poder ser escolhida!

Gláucia disse...

O maior preconceito vem das pessoas que se dizem alvo de preconceito. Esse é um caso típico disso. Não vi nada de preconceito aí. O que se tem que fazer é valorizar ainda mais a cor e não se colocar de vítima toda hora. Esse autor desse blog tinha que ter vergonha na cara e parar de neura.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...