20 anos após a morte, cidade natal não sabe o que fazer com legado de Kurt Cobain

História de Kurt Cobain, ligada ao uso de drogas, incomoda muitos em Aberdeen
"Este sábado marca os 20 anos da morte do cantor americano Kurt Cobain, vocalista, guitarrista e compositor do Nirvana, uma das bandas pioneiras do movimento grunge, surgido em Seattle no início dos anos 1990.

Jaime González, BBC Brasil 

Em sua breve e meteórica carreira, Cobain, juntamente com o baixista Krist Novoselic e o bateirista Dave Grohl, deu voz à desilusão, a apatia e à raiva de toda uma geração que se deixou seduzir pelo punk melódico que o trio imprimiu em álbuns como o clássico Nevermind (1991).

El tinha 27 anos, quando em 5 de abril de 1994, após se injetar com uma alta dose de heroína, se matou com um tiro, deixando para trás sua mulher, Courtney Love, e a filha então com 20 meses, Frances Bean, assim como uma legião de fãs desconsolados por todo o planeta.

Apesar de Cobain ter morado por apenas 18 meses em Seattle, é provável que muitos de seus fãs se reúnam neste sábado para homenageá-lo em um parque da cidade que fica ao lado da mansão em que o cantor tirou sua vida e que há anos é um local de peregrinação.

Outros talvez decidam marcar a data em Aberdeen, uma pequena cidade situada no oeste do estado americano de Washington, onde Cobain nasceu em 1967 e viveu a maior parte de sua vida.

Aberdeen, imersa há décadas em uma profunda crise econômica, com elevadas taxas de desemprego, consumo de drogas e suicídio, foi onde o adolescente Kurt Cobain iniciou-se no mundo da música e se inspirou para compor algumas das canções que o converteram em uma lenda do rock.

Placa na entrada de Aberdeen alude à música do Nirvana
Relação complicada

A relação do cantor com sua cidade natal sempre foi complicada e em mais de uma entrevista ele demonstrou desprezo pelo lugar, afirmando que era cheio de gente "racista e intolerante".

Isto, somado ao histórico de consumo de drogas e ao seu suicídio, tem feito com que, duas décadas depois de sua morte, Aberdeen ainda não tenha encontrado a maneira de honrar seu cidadão mais ilustre.

O primeiro reconhecimento de Cobain por parte Aberdeen veio em 2005, quando o Memorial Kurt Cobain inaugurou uma placa na entrada leste da cidade que ainda causa polêmica: "Bem-vindo a Aberdeen, Venha Como Você É", é a frase na placa, uma referência a uma de suas músicas mais famosas, Come As You Are.

Em 2011, foi arquivada uma proposta de dar o nome de Cobain à ponte que passa por cima do rio Wishkah, citada na música Something in the Way, e sob a qual Cobain teria dormido várias vezes.

Alguns vereadores argumentam que renomear a ponte seria uma glorificação ao vício de Cobain e ao seu suicídio.

Políticos locais, no entanto, concordaram em dar o nome de "Cobain Landing" a um pequeno terreno perto do caminho que leva à área embaixo da ponte.

Há anos, peregrinos grunge de todas as partes do mundo homenageiam Cobain neste lugar, onde uma guitarra elétrica e várias placas estão penduradas.

O prefeito Bill Simpson inaugurou estátua em homenagem a Cobain
'Dia de Kurt'

Em 20 de fevereiro, quando Kurt Cobain completaria 47 anos, o prefeito de Aberdeen, Bill Simpson, declarou o "Dia Oficial de Kurt Cobain".

Os tributos incluíram a inauguração, no museu da cidade, de uma estátua nada inspiradora assinada por um artista local.

"A celebração deste ano foi tão rápida. Não tivemos muito tempo de preparar. No ano que vem queremos organizar uma festa de aniversário maior, com show de bandas locais", disse Bill Simpson durante uma visita recente que fiz a Aberdeen.

Quando questionado sobre por que é tão difícil para a cidade homenagear seu filho mais famoso, Simpson apontou para seu histórico de uso de drogas.

"O que mais sobressaiu quando ele morreu foi que era viciado e que tinha se matado. Até hoje muitas pessoas acreditam que, ao homenageá-lo, estamos estimulando os jovens a usar drogas. Mas não concordo com isso. Temos que olhar para sua música."

Entre os que acreditam que Abeerdeen poderia estar fazendo mais para lembrar o legado de Cobain está Charles Cross, autor de Here We Are Now ("Estamos Aqui Agora", em tradução livre), livro em que analisa o impacto da obra de Kurt Cobain.

"Eles deveriam estar fazendo mais. Primeiramente porque é a coisa certa a fazer. Segundo, porque há uma razão econômica. O turismo poderia aumentar muito. Mas como a estátua de cimento mostra, a cidade não sabe como fazer isso direito", lamenta Cross.

No dia em que visitei Aberdeen, encontrei um casal de meia idade fotografando o terreno que leva o nome de Cobain.

"Não importa o que se acha do estilo de vida dele, não se pode negar o fato de que ele teve um grande impacto na música", eles dizem, lembrando que assistiram a shows do Nirvana em várias ocasiões antes de a banda ficar famosa.

A polêmica das drogas

Em 1985, em uma das várias ocasiões em que ficou desabrigado após brigas com a mãe, Cobain morou durante um ano com LaMont e Barabara Shillinger, pais de dois amigos de escola.

"Foi bom ter tido uma homenagem a Kurt, apesar de o evento não ter sido maravilhoso. E é contraditório o fato de que não concordam com seu uso de drogas porque Aberdeen tem uma das maiores taxas de alcoolismo no Estado. E heroína não é pior que álcool", disse LaMont Shillinger.


Gary Cobain acha injusta a forma como
 Aberdeen trata seu sobrinho, Kurt
Há alguns anos a mãe de Cobain, Wendy O'Connor, se mudou para a Califórnia. Mesmo longe, ela manteve a casa da família, onde o músico viveu durante a infância.

Apesar de a casa ter sido avaliada em US$ 65 mil, há alguns meses Wendy tenta vender o imóvel por US$ 500 mil.

Agora, um jovem jornalista da cidade de Portland está tentando conseguir US$ 700 mil para comprar a casa e transformá-la em um museu em homenagem a Cobain.

Para descobrir o que a família de Kurt Cobain acha da forma como Aberdeen está lidando com o legado o músico, viajei para o acampamento de casas móveis Country Estates, a poucos quilômetros a leste de Aberdeen.

Cobain viveu neste local por um tempo, com o avô paterno, Leland Cobain. Agora a casa é ocupada por Gary Cobain, filho de Leland e tio de Kurt.
"Acho que Aberdeen está fazendo um ótimo trabalho para ignorar Kurt", disse Gary Cobain.

"Ele tinha um problema com drogas e eles não gostam disso, mas se eles fizessem mais para honrá-lo, traria mais dinheiro para cá. O negócio é que eles não têm nada a perder, pois o lugar está decadente de qualquer jeito", acrescentou."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...