Mostra no Rio discute crise social, ecológica e também soluções


'Dário de uma Crise', de Sandra Kogut segue
um grupo de pessoas que perderam o
emprego em Nova York 2009

Festival no Rio de Janeiro traz filmes e bate-papos debates sobre o tema Crise Mundial e Alternativas

Xandra Stefanel, RBA

“A angústia de pessoas que não sabem se vão conseguir pagar seus empréstimos e sobreviver até o mês seguinte; a desumanização de um mundo por trás de chips e computadores; o massacrante trabalho dentro dos frigoríficos. Se tempos de crise sistêmica instalam o caos na vida das pessoas, é também nesses momentos que surgem movimentos de resistência e busca de alternativas e novos caminhos possíveis.

E se o mundo do trabalho e das economias desgovernadas tumultua a vida das pessoas, também não deixa por menos em relação ao planeta. De outro lado, pessoas descobrem que é possível incluir preservação ambiental em meio às conturbadas demandas das grandes cidades; agricultores e comunidades encontram alternativas para combater a insegurança alimentar; trabalhadores assumem uma fábrica falida por meio da criação de uma cooperativa.

É esse o tema da Mostra Social Movimentos 2013, que apresenta filmes e promove debates até domingo (14), na Caixa Cultural Rio de Janeiro. Criada pela ONG francesa Autres Brésils, em parceria com a produtora brasileira Refinaria Filmes, a mostra tem o objetivo de refletir sobre a crise econômica, social e ecológica deste século.

No documentário brasileiro Família Braz, Dois tempos, Arthur Fontes e Dorrit Harazim visitam a mesma família em um intervalo de 10 anos. O filme busca nesses personagens um reflexo de muitas outras famílias que viveram um período de inclusão social, ascensão econômica e de acesso ao direito não só de adquirir bens de consumo antes impensáveis, como de fazer planos para o futuro. Em 2010, os filhos de seu Braz estão empregados, viajaram de avião, compraram carro. O filme foi vencedor do Festival É Tudo Verdade 2011.

Carneiro 2.0, documentário de Antoine Costa e Florian Pourchi ainda inédito no Brasil, mostra a resistência de criadores de ovinos franceses à atual obrigação de identificar os animais com chips eletrônicos, realidade distante de muitas famílias que vivem nos campos.

Também serão exibidos Diário de uma Crise, de Sandra Kogut, Muitos Dias Tem o Mês, de Margarida Leitão e Carne-Osso, de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros. Ao todo, 16 filmes fazem parte da mostra que também inclui programação infantil. A Mula Teimosa (de Hélio Villela Nunes), Disque Quilombola (de David Reks), Patakès e Em Outro Lugar (ambos de Julie Rembauville e Nicolas Bianco-Levrin) promovem noções de cidadania junto às crianças.

O público terá a oportunidade de debater com cineastas, jornalistas, representantes de ONGs e movimentos sociais brasileiros e franceses. Depois de cada projeção, estão previstas rodas de conversa ou debates.

Mostra Social em Movimento
• Até 14 de julho de 2013
• Na Caixa Cultural Rio de Janeiro, Av. Almirante Barroso, 25, estação Carioca do metrô
• R$ 1 a R$ 2
Confira a
programação completa

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...