"Nossa imprensa foi espírito de porco antes da Copa"

"Em programa da Sportv, canal fechado da Rede Globo, jornalista e escritor Ruy Castro menciona "cobertura com enorme má vontade, o tempo inteiro, de uma exigência absurda, que acabou enfatizando o movimento 'Imagina na copa'"; segundo ele, "não se deu nem chance de que se pusesse as coisas em ordem"

Brasil 247

Ao comentar a Copa do Mundo no programa Redação Sportv, do canal fechado da Rede Globo, o jornalista e escritor Ruy Castro fez duras críticas à imprensa brasileira. Segundo ele, houve uma "enorme má vontade o tempo inteiro", com "exigência absurda", o que acabou fazendo crescer o movimento "imagina na Copa". Para o jornalista, "a nossa imprensa foi rigorosamente espírito de porco antes de o evento começar". Leia abaixo o post do blog Escrevinhador e assista aqui ao comentário de Ruy Castro.

Ruy Castro: "Nossa imprensa foi espírito de porco antes da Copa"

A Copa do Mundo no Brasil começou 11 dias atrás e as expectativas apocalípticas criadas na velha imprensa não aconteceram.

Com isso, a máscara dos grandes meios de comunicação brasileiros vai caindo, com impacto na imprensa internacional.

"Nossa imprensa foi rigorosamente espírito de porco antes do evento começar", acusa o escritor Ruy Castro, em programa da SporTV.

Espírito de porco é uma expressão para classificar pessoa cruel e ranzinza, que se dedica a complicar situações para causar constrangimentos.

Jornais alemães, espanhóis, franceses e ingleses, que refletiam o quadro catastrófico pintado pelos canais de televisão, redes de rádio e jornais de grande circulação no Brasil, desfazem o mito criado antes da Copa.

"Na imprensa estrangeira, era totalmente normal que se tivesse uma versão tão 'apreensiva', porque ela espelhava o que acontecia na nossa imprensa, que foi de uma critica permanente, à priori. Uma cobertura com enorme má vontade, o tempo inteiro, de uma exigência absurda, que acabou enfatizando o movimento 'Imagina na copa'", critica o escritor.

"Ah, mas faz parte da imprensa? Isso eu sei: má notícia quer notícia. Mas a má notícia nem tinha acontecido ainda... Não se deu nem chance de que se pusesse as coisas em ordem", avalia Castro.

Ruy Castro é um jornalista reconhecido, que começou a trabalhar na imprensa na década de 60. A partir de 1988, passou a se dedicar a escrever livros, como "Chega de Saudade" (sobre a Bossa nova) e "Ela é Carioca" (sobre o bairro de Ipanema, no Rio), além das biografias "O Anjo Pornográfico" (Nelson Rodrigues), "Estrela Solitária" (Garrincha) e "Carmen" ( Carmen Miranda)."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...