Cowboy marginal


Sam Shepard. Carisma de herói e obra voltada aos deslocados


Às vésperas de completar 70 anos, Sam Shepard parece ter vivido muitas vidas: ator indicado ao Oscar, baterista de rock, parceiro em canções de Bob Dylan, vaqueiro, agriculto

José Geraldo Couto, CartaCapital

Às vésperas de completar 70 anos, Sam Shepard parece ter vivido muitas vidas. Dramaturgo premiado, roteirista de filmes como Zabriskie Point e Paris, Texas, ator indicado ao Oscar, baterista de rock, parceiro em canções de Bob Dylan, vaqueiro, agricultor.

Alto, longilíneo, de beleza viril, ele tem o talhe e o carisma dos velhos heróis hollywoodianos, mas sua obra em geral dedica-se a questionar a mitologia americana e a retratar os outsiders, os perdidos e os deslocados.

Filho de um professor que serviu como piloto na Segunda Guerra Mundial, Shepard nasceu em Illinois e cresceu na Califórnia, onde trabalhou numa fazenda na adolescência. Abandonou os estudos de agricultura para se juntar a uma companhia de teatro itinerante. Nos anos 1960 fixou-se em Nova York, escrevendo e atuando no teatro off-Broadway. Suas peças rompiam com as formas clássicas e se aproximavam da arte pop e do cinema.

Já era um dramaturgo respeitado, ganhador do Pulitzer pela peça Buried Child, quando estourou como ator em Os Eleitos (Philip Kaufman, 1983). Na mesma época, casou-se com a atriz Jessica Lange, com quem teve dois filhos e permaneceu até 2009.

Sobre seus talentos polivalentes, diz: “Há pontos em que escrever é atuar e vice-versa. Não estou interessado nas divisões, e sim no modo como as coisas se atravessam”.

DVDs

Os Eleitos (1983)

Adaptação de Philip Kaufman do livro de Tom Wolfe sobre a seleção e treinamento dos astronautas americanos da espaçonave Mercury em 1959. Em paralelo a esses pioneiros das viagens espaciais mostra-se a história de Chuck Yeager (Sam Shepard, indicado ao Oscar), primeiro piloto a romper a barreira do som com um avião.

Paris, Texas (1985)

Um homem (Harry Dean Stanton) é encontrado vagando pelo deserto anos depois de ter abandonado a família. Acolhido pelo irmão (Dean Stockwell), ele parte pelo interior dos EUA com o filho pequeno (Hunter Carson) em busca da mãe deste (Nastassja Kinski). Clássico moderno de Wim Wenders com roteiro de Shepard.

Louco de Amor (1985)

Num motel de estrada no Deserto de Mojave, justamente quando tenta iniciar uma nova vida, uma bela mulher (Kim Basinger) é visitada por um velho amor (Shepard), com quem teve um relacionamento destrutivo e obscuro. Drama claustrofóbico de Robert Altman, com roteiro de Shepard baseado em sua peça de teatro.”

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...