Xingamentos racistas: na internet eles são recorrentes

Xingamentos racistas: na internet eles são recorrentes (Reprodução/Youtube)
Leonardo Araujo, adNEWS

Você lembra de Mayara Petruso? Em 2013, a moça foi condenada pela Justiça Federal de São Paulo pelo crime de discriminação, por fazer comentários após a vitória de Dilma Rousseff no segundo turno das eleições de 2010.

"Nordestisto (sic) não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado!", disse em seu Twitter. Mayara recebeu uma punição de 1 ano, 5 meses e 15 dias de prisão, mas a pena foi convertida em prestação de serviço comunitário e pagamento de multa.

Na última quinta-feira (28), durante a partida entre Santos e Grêmio pelas oitavas de final da Copa do Brasil, um novo episódio de preconceito foi visto. Parte da torcida do Grêmio gritou ofensas racistas ao goleiro do Santos, o jogador Aranha. Imagens da televisão flagraram uma torcedora xingando o rapaz de "macaco".



A atitude da moça revoltou internautas e parte da mídia especializada. O jornalista Juca Kfouri, por exemplo, postou em seu blog um texto cujo título é "Prendam esta mulher". "Esta figura, com a mão na boca, que se parece com uma coruja, xingou o goleiro Aranha de macaco duas vezes, clara, inequivocamente", disse em seu texto.

Não fossem as imagens da moça serem flagradas pelo cinegrafista da ESPN, ela seria punida? No caso de Mayara Petruso, por exemplo, ela é a única internauta racista no Twitter? A resposta é não. E não é preciso ir muito longe para confirmar isso. O juiz da partida de ontem, Wilton Pereira Sampaio, é negro. Adivinha quem foi vítima de preconceito no microblog?

matheus rissi @matheusrissi01
Acabou 2a0 pro santos/juiz, pelo menos foi com garra, mais si fude, juiz filha da puta, bate na cara desse juiz macaco do caralho

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...